NOSSA VIDA

Quarta FIV: a gravidez

Passado um ano da primeira fertilização in vitro, em dezembro de 2011, encasquetei que queria fazer uma nova tentativa de engravidar, apesar de estarmos com uma viagem marcada para Fortaleza.

Dois meses antes, tinha se formado um cisto no meu ovário, o que me havia impedido de começar um novo ciclo até que o bendito fosse defenestrado. Eu já estava muito ansiosa. Não seria uma viagem que iria me impedir de realizar uma nova tentativa, além do que eu sentia que “aquele era o mês que tudo ia dar certo”.

Bem, começamos uma nova empreitada. Meu marido e minha médica aceitaram embarcar nesta minha aventura, após longas conversas. Para isso, pesquisei a existência de uma farmácia de medicamentos especiais em Fortaleza, e calculei que daria certinho os dias de aplicar as bombas hormonais lá, voltar e fazer o procedimento em São Paulo. Deixei a Fundação ABC de lado, e parti para uma clínica de fertilização na qual a minha médica atendia.

Lá fomos nós para Fortaleza. Hospedamo-nos em um hotel longe do centro, mas bem conhecido na região. Fizemos os passeios de praxe, Canoa Quebrada, Cumbuco e Morro Branco.

No passeio de Morro Branco, meu marido teve sua carteira furtada, com dinheiro e documentos. Foi um estresse total. A viagem já ficou comprometida. Pensei, será que fizemos bem de vir?

À noite, mais um apuro. Quando entregaram o medicamento no hotel, deixaram de enviar a agulha de aplicação. Saímos desesperados em busca dela, por todas as farmácias da região. Eu já estava me arrependendo de ter tomado uma atitude tão maluca. Mas finalmente encontramos, altas horas da noite. Que alívio, já estava vendo meu dinheiro indo para o brejo e todo mundo falando no meu ouvido.

Voltamos para São Paulo, após punção de cinco folículos, começou a espera pela formação dos embriões. Obtivemos três maduros, para transferência uterina. Lembro bem da médica e da bióloga discutindo o risco de transferir os três, mas eu queria muito. Eu estava louca para ter um, dois, três bebês. Quero os três, eu dizia. Quero gêmeos (mal sabia que isso ocorreria dois anos depois). Então, foram transferidos os três. Não sobrou nada para congelamento.

Daí, a espera pelo Beta, com muita ansiedade e medo da vinda da menstruação. Toda hora que ia ao banheiro, morria de medo de ver sangue. Queria sentir alguma coisa que me desse a pista de que estava grávida. Pedia para Deus um sinal. E nada. Mas me lembro que, no dia 20 de dezembro, fui a um culto de oração maravilhoso, em que pedi muito para ser agraciada com uma gravidez.

No dia 22 de dezembro de 2011, então, recebi o mais lindo presente de Natal, o meu exame de gravidez deu positivo. Mal podia acreditar que tinha chegado o grande dia. Nossos corações se encheram de alegria. Minha família, que não contava com nenhuma criança ainda (meus irmãos não tinham filhos, e meu marido é filho único), entrou em festa.

Assim, foi o Natal mais lindo de todos os tempos. Nós comemoramos o nascimento de Jesus e anunciamos a vinda da mais nova criatura do divino, meu bebê, Heloisa.

Anúncios

4 comentários em “Quarta FIV: a gravidez

  1. Oi Ana,
    Estou adorando seu blog e ler sua aventura! Vc tem meu estilo, sou assim como vc, amo viajar, não tenho medo de encarar desafios! Que venham 3 em mim tb! Hahahaha
    Deixa eu te perguntar algumas coisas, pfv: vc chegou a fazer algum tratamento para esses abortos antes de fazer a FIV q deu certo?
    Vc achou que o IF negligenciou na fase inicial, nao pesquisando sobre seus abortos anteriores?
    Beijos e obrigada!

    Curtir

    1. Olá, Claudia. Fico muito feliz de ter você conosco, principalmente por ser tão para cima! Bem, eu só tive um aborto, na segunda tentativa de FIV. Na primeira, não formou um embrião sequer. Na terceira, não engravidei. Estive com a mesma médica do começo ao fim, inclusive com o trio. Isso foi importante para que ela me conhecesse bem, aplicando os melhores métodos de fertilização. O aborto que tive foi uma fatalidade que pode ocorrer com qualquer pessoa, segundo fui informada. Não tive aborto de repetição. Acho que aí precisa investigar. Se quiser saber mais, estou à disposição. Pergunta que eu respondo. hahaha. Vai com tudo, Claudia. Mas mande notícias. Acompanhe-nos no facebook/trigêmeosmaisuma. Beijos, Ana

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s