MINHAS DICAS

Socorro, quando meu filho vai dormir a noite toda?

20150617_150807Ana Schoriza, doula, consultora do sono na gestação e na infância e de aleitamento materno, doula e mãe de trigêmeos mais uma. Advogada de formação. Site: mamaedossonhos.com. Email: anaschoriza@gmail.com.

É desnecessário qualquer conhecimento científico para perceber que os padrões do sono infantil são totalmente diferentes do sono do adulto. Já durante a gestação, é comum a futura mamãe receber conselhos para dormir bastante antes do nascimento do bebê. Isso como se fosse possível acumular momentos de sono em um banco de horas.

Além disso, muitos são os fatores que prejudicam o sono da gestante, tais como, enjoos, refluxo, sobrepeso. Nas minhas duas gestações, senti na própria pele tudo isso. O sono foi um grande desafio para mim, especialmente nos últimos dias da minha gestação trigemelar, internada e com uma barriga que parecia que ia explodir a qualquer momento.

Com o nascimento dos bebês, e depois de muitas noites de sono ruins na gestação e uma longa jornada de uti neonatal no hospital, a minha resistência ao sono logo foi testada, o que não difere da situação das demais novas mães. Daí, surgem as seguintes perguntas: mas a Ana não é consultora do sono? Como os bebês dela não dormiam “a noite toda” logo nos primeiros meses de vida? E o meu filho, quando irá dormir “a noite toda”?

Pois bem. Apesar de os recém-nascidos dormirem cerca de 14 a 17 horas por dia, o ciclo circadiano (relógio biológico) do bebê ainda é desajustado, o que implica em diversos despertares do sono sem um ritmo certo, no dia ou na noite. Os recém-nascidos, geralmente, dormem de 3 a 4 horas seguidas, acordam, choram muito, fazem cocô, mamam e dormem de novo.

Se não bastasse, o estômago do bebê é minúsculo. Assim, não consegue armazenar energia por muito tempo, o que faz com tenha que mamar diversas vezes ao longo das 24 horas do dia. E isso não exclui a noite. Aliás, a amamentação noturna é bem importante para estimular a produção de leite materno em razão do pico de prolactina.

Assim, nas primeiras semanas de vida, não espere que o bebê durma a noite toda. Dificilmente, isso irá ocorrer, pois ainda falta maturidade neurológica ao bebê (senti falta da carinha assustada do WhatsApp agora). Desta forma, não caia na cilada de oferecer leite artificial para que isso aconteça (“conselho” que vejo sempre em fóruns de mães do facebook).

Na realidade, o normal é os bebês acordarem de duas vezes a cinco vezes na noite, nas primeiras semanas. Depois, entre 3 semanas e 3 meses, passam a fazer blocos de sono noturno de 5 horas, geralmente das 24 horas às 5 horas da manhã. E partir de 6 meses, a tão sonhada noite toda de sono acontece em relação a muitos bebês, entre 8 e 12 horas de sono. Mas depende do desenvolvimento de cada bebê e da rotina de cada família.

Saliento, também, que os ciclos de sono do bebê são mais curtos (40 minutos em média) e mais leves (ficam menos tempo em sono pesado – rem) em comparação ao dos adultos. Este é um dos fatores que levam o bebê a despertar facilmente, após um longo período no colo, quando são colocados no berço, com aquele choro ensurdecedor.

No caso dos meus trigêmeos, a tão esperada noite de sono (de 12 horas) aconteceu aos 8 meses deles – lembrando que são prematuros. E aos 3 meses, já dormiam até às 5 horas da manhã. Lembro bem deste turno de mamada. Todos chorando, eu com sono e sem saber quem acudir. Quem mamava primeiro? Quem chorava mais alto. Às vezes dava sorte de ter um dormindo ainda. Um ficava no peito, outro no bebê conforto (que eu balançava com o pé) e outro no berço. Meu marido ficava dormindo, pois ele me já ajudava na mamada anterior (às vezes, tirava leite materno na bomba elétrica para ele oferecer e eu dormir um pouco a um, dois ou três deles) que acontecia até umas 2 horas mais ou menos e nos despertares. Ficou exausta só de pensar??? Eu também, mas não me arrependo.

E neste momento do texto, depois de ouvirem o meu desabafo, quase posso ler o pensamento de uma mãe desesperada: e o que eu faço até 6 meses para não enlouquecer de cansaço? E mais outro: meu filho tem mais de 1 ano e esta noite de sono tão especial nunca aconteceu, gostaria de saber o motivo.

Além do momento certo de amadurecimento do bebê, há formas de acalmar o bebê recém-nascido para que durma melhor. Nesta fase, o casulinho, o balanço, o sugar, o chiado, o sling, observar os sinais de sono, fazer boas sonecas (recém-nascidos podem ficar acordados por uns 60 minutos) são os melhores aliados do bebê no que toca à transição tranquila de noites sem dormir para boas noites de sono.

Na consultoria do sono, ensinamos formas de acalmar o recém-nascido para os pais já na gestação ou nos seus primeiros dias de vida (em muitos casos, a consultoria somente ocorre muito depois disso, até uns 5 anos de idade). Foi assim com meus trigêmeos: começamos com técnicas para acalmar os bebês (sem supressão da amamentação, claro), e finalmente boas noites de sono. Com relação às crianças maiores, existe a aplicação da higiene do sono e de métodos de sono, quando necessário. Mas tudo é bem personalizado, de acordo com o estilo de vida da família, inclusive os desmames noturnos ou total. Experimente você também!

Bibliografia básica

O bebê mais feliz do pedaço: guia para um ótimo sono. Dr. Harvey Karp. São Paulo, 2013. Editora: Novo Século.

Manual prático de aleitamento materno. Dr. Carlos Gonzalez. São Paulo, 2014. Editora timo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s